30 de março de 2012

Decisões, decisões...

Treino de hoje:
Final da tarde
Distância: 7km
Tempo: 43:08

Gosto de ir correr quando o tempo esta assim "instável", porque anda muito menos gente na rua e, onde corro, só se vêem outras pessoas a correr ou a passear o cão. É muito mais calminho assim. No entanto, estava vento e custou-me um bocado a respirar pelo nariz, espero que não esteja a ficar constipada.

Nem sabem a quantidade de vezes que já passei por esta paragem de autocarro e nunca tinha olhado para cima...
Bonito, não é?

E hoje, muitos anos depois (mentira, só 2 ou 3) voltei a pôr os pés num ginásio!

Recebi um email no fim-de-semana passado, do meu antigo ginásio, onde faziam referência a open days, nos dias 30 e 31, com possibilidade de reinscrição gratuita para os antigos membros. E eu, como tinha a tarde livre, e mais por curiosidade do que por outra coisa, lá fui. Estive na sala de manutenção a falar com um antigo instrutor e aproveitei para usar umas máquinas. Mas por pouco tempo, porque estava a começar uma aula de spinning, que era o que eu gostava mais de fazer na altura, e eu queria participar. O que eu suei, meus amigos!
Conclusão: Gostei de ter lá estado (se calhar amanhã ainda aproveito outra vez), mas não tenho vontade de voltar. Acho que era muito bom para complementar o cárdio da corrida, mas nunca consegui aguentar muito tempo num ginásio, acho que sou mais de exercício ao ar livre! Vou ter de ser mais empenhada em realizar exercícios localizados, e de força, em casa. Um home gym é que era! (E uma casa com mais um quarto, já agora).

Quando saí de lá, como estava com saudades do meu exercício preferido, fui correr um bocadinho, enquanto ainda estava (mas pouco) sol.

Acho que abusei um bocadinho no exercício, porque este domingo estou a pensar participar numa prova, só ainda não sei em qual. Temos a corrida da APAV, que são 10km, e por uma boa causa, e depois temos uma corrida de bairro, mais perto, mais barata (e, se me inscrever pelo clube, gratuita), mas "apenas" 6km... Que fazer, que fazer? É só decisões difíceis na minha vida, não sei como é que não tenho uma crise de stresse. ;)

Provavelmente, amanhã o meu corpo dorido decide por mim: "querias ir correr né, armada em super-heroína do fitness, pois agora toma lá que já almoçaste", e passo o domingo a sofalizar, mas sem conseguir levantar um braço para mudar de canal.




A ver vamos.


Objecto de desejo

Para quem perguntou, aqui está o que (um dia destes) espero poder comprar:
Garmin Forerunner 110.
(e com a listinha cor-de-rosa, porque é mais bonito... :) )

Fez parte da minha lista de pedidos de Natal, mas, pelos vistos, não devo ter sido uma boa menina em 2011... Este ano prometo portar-me melhor, a ver se calha.

Para quem, como eu, é uma sem-Garmin, mas que esteja a começar e queira na mesma controlar a evolução da sua performance, estou a fazer um post sobre apps gratuitas que podem descarregar para os vossos telemóveis (ou iphones), e que são muito completas (umas mais que outras) para quem quer controlar os dados de corrida.

Bom exercício!

29 de março de 2012

Mulheres e o exercício: porque é mais difícil evoluir?

O bom de estarmos sempre a chatear amigos e colegas de trabalho com questões de corrida é que, de vez em quando, surgem gestos amorosos como o de um colega de trabalho, que deixou esta revista em cima da minha mesa com a seguinte nota: "Tinha esta revista guardada lá em casa há uns tempos, porque tem alguns artigos que achei úteis. Acho que também te podem interessar." Awwwww....

É claro que me interessa!

Acho que o facto de estar constantemente a ler artigos desportivos em voz alta, à mesa, durante o almoço, começa a dar os seus frutos.

Houve um tema que me chamou logo a atenção:

Mulher: Porque não melhoramos?

É um facto que, em relação a colegas corredores homens, eu noto que a minha evolução é bem mais lenta. E isso, às vezes, irrita-me um bocadinho... um bocado, pronto. Não quero com isto dizer que não  há mulheres que dêem bailinho aos homens na corrida (ou outro desporto) porque há, mas, comparativamente, os homens vão ter sempre a favor o factor testosterona, mais músculo, menor percentagem de gordura corporal...
E depois, o pior, é homens como o meu irmão, por exemplo, que NUNCA correm, e depois um dia consigo convencê-lo a acompanhar-me e ele consegue fazê-lo com muito pouco esforço. Fico chateada, pois 'tá claro que fico chateada! O facto de ele ser mais novo que eu, ter 1.85m, ter pernas de metro e meio, e enquanto dá um passo eu dou dois ou três, é irrelevante. O que interessa é que eu ando a treinar e quero poder gabar-me, posso? E assim fica difícil... :)


(Quem é que eu quero enganar, eu sou lenta até em comparação com outras mulheres, idosas, crianças e coxas incluídas).


Quem tiver interesse no assunto, pode ler um artigo sobre a competição dos géneros aqui.


O artigo da revista da foto acima, foca-se sobretudo em evolução de treino em ginásio, mas eu vou partilhar alguns pontos na mesma, porque são de senso-comum e podem interessar a algumas meninas.

"Não consegues evoluir? Erros clássicos"


1. Treinas demais.
Parece irónico, mas o ir demasiadas vezes ao ginásio pode tornar-se contraproducente. Quando as sessões de exercício se prolongam demasiado e chegas a treinar duas vezes por dia, sem descansares devidamente entre treinos, podes exceder a tua capacidade de recuperação e provocar alguns estragos. Escuta o teu corpo e dá-lhe tempo de descanso. O teu físico será moldado a pouco e pouco.

2. Treinas de menos.
O reverso da medalha. Não consegues evoluir porque numa semana estás entusiasmada e vais três vezes ao ginásio, na semana seguinte fazes ronha e vais apenas uma. Sem constância não há resultados. O exercício deverá fazer da tua rotina rotina diária, como um estilo de vida. Para começar, dedica-lhe três dias da semana, e cumpre. Aos poucos, a rotina vai-se estabelecendo.

(Gostaram da lógica da batata até agora?)

3. Medo de pegar nos pesos.
Algumas mulheres sentem-se reticentes em fazer musculação, com receio de ganhar demasiado músculo, mas o processo não é assim tão simples. Além disso, uma leve rotina de pesos ajuda-te a ganhar força muscular, fundamental se quiseres evoluir a nível de performance física.

4. Demasiadas festas? (Culpada! Em parte.)
Álcool, tabaco, e poucas horas de sono não são os teus melhores aliados. Não precisas de ser uma eremita, mas se queres alterar a tua forma física, tens que ter um estido de vida relativamente saudável. O truque é ser congruente e tentar encontrar um equilíbrio entre a vida social e a prática de exercício físico, que não seja prejudicial a nenhuma das partes.

5. Faltam-te objectivos?
É muito importante que tenhas certezas em relação ao que pretendes atingir com a prática de exercício. Pede ajuda a um especialista, se necessário, para te ajudar a definir objectivos e, desta forma, ser-te-á mais fácil criares um plano de acção e manteres-te dentro do mesmo.

6. Os hábitos alimentares. (Culpada! Totalmente.)
Às que pensam que basta ir ao ginásio e suar as estopinhas para queimar o que comeram, estão muito enganadas. Pior ainda pensarem que podem continuar a comer tudo o que lhes apetece e que o exercício depois compensa (tãooooo culpada...). Para que a rotina física dê resultados, deves seguir um regime alimentar equilibrado e tentar comer 5 a 6 vezes ao dia. E nem penses em fazer jejum.

Fonte: Revista Dxtistas


Basicamente, era isto que o artigo dizia. Depois fala ainda um pouco sobre as diferenças em termos musculares de homem para mulher (a capacidade de aumentar a força em relação à sua massa muscular é a mesma. A diferença está relacionada com a produção a nível hormonal, que faz com que o homem tenha, à partida, mais massa muscular).


Quais são os vossos "erros" alimentares/desportivos mais frequentes?



28 de março de 2012

Este não é um blogue de comida (e outras questões)

Lembram-se de que, aqui há uns dias, só me apetecia devorar tudo o que eram aperitivos salgados? Bem, eu achei que o melhor era não abusar, por causa da retenção de líquidos, hipertensão e tal (uma nota: por norma, sempre tive a tensão baixa ~ 6/10 ~, o que às vezes me chegava a causar tonturas, mas desde que voltei a correr, normalizou. Mais uma das muitas coisas boas do exercício físico: para além de corpos atléticos, uma melhoria no estado geral de saúde. Precisam mesmo de mais incentivos?? Ponham-se a mexer! Mas primeiro acabem de ler o post.).
Por isso, tentei ver alternativas que satisfizessem o meu apetite devorador, sem serem imitações insípidas...

E encontrei isto:


Estão a ver aqueles palitos salgados (e viciantes)? Estes são parecidos, mas, em vez do sal, têm sementes de sésamo. E se têm sementes de sésamo é porque são mais saudáveis! Ahah... Era bom que funcionasse assim, mas não.

No entanto, têm três coisas a favor em relação aos normais aperitivos:
1- A lista de ingredientes não é tão extensa (o que é sempre bom sinal, principalmente quando não envolve nomes com letras e números não identificáveis);
2- A quantidade de sódio é menor;
3- Por virem em saquetas de "apenas" 50 gramas, ajuda no controlo de porções.


O facto de serem bons também ajuda à crítica positiva!


E agora, mudando radicalmente de assunto assim do nada. Salsa, já que perguntaste em relação a cremes anti-estrias, este é o que eu uso:


Antes de mais, uma palavrinha aos responsáveis por este tipo de produto: Não são só as mulheres grávidas que têm a possibilidade de criar estrias, sim? Se vivêssemos num mundo perfeito, apenas quando tivéssemos a barriga dilatada como um planeta é que deveríamos ter de prevenir estas questões. Mas não. O mundo não é perfeito e eu gostava de poder comprar os meus produtos preventivos sem ser constantemente recordada de que, apesar de não ter nenhuma vida em expansão dentro de mim, o meu rabo em expansão é o equivalente a uma gravidez. Obrigada.

Posto isto, gosto muito deste óleo da Palmer's (também há em versão creme) porque cheira bem e não deixa a pele gordurosa depois da aplicação. Escolhi a versão em óleo porque, como sou um bocado preguiçosa nestas coisas, assim posso colocá-lo enquanto ainda estou dentro da banheira, depois do banho, e não quando estão -10º no quarto (a minha casa é mesmo muito fria) e eu tenho de estar despida a esfregar um creme. Agora com o tempo mais quente, o cheiro a cacau torna-se um pouco enjoativo, mas durante o Inverno gosto de usar.
Alguém utiliza alguma outra marca e que seja maravilhosa e recomende?


Hoje cheguei novamente tarde a casa e o jantar teve de ser sobras. Uma das formas de embelezar o facto de estarmos a comer sobras de há dias, é colocá-las dentro de um pão pita e fingirmos que estamos a comer um prato étnico.

Chique.

E é por isto que este nunca vai ser um blogue de comida... O que vale é que temos por aí muitas meninas talentosas para nos deixarem a salivar com as fotos que colocam nos respectivos posts. Continuem, eu e o mundo precisamos de incentivos visuais para nos motivar a evoluir nesse campo!

Até amanhã!

27 de março de 2012

Segue as setas!

Treino de hoje:

Distância: 6km
Tempo: 34:22

(Velocidade média de 5:35!) -> Aviso: Sim, sou mesmo eu, e não, não bebi nenhum Red Bull antes do treino! Esta velocidade média enganadora deve-se ao facto de, como irão ver a seguir, ter parado por diversas vezes durante a corrida, para poder tirar fotos. Durante as pausas parava o relógio, e estes pequenos intervalos permitiam-me recuperar o fôlego, o que fez com que corresse a esta velocidade louca (para mim, ahah)!

Tenho de aproveitar estes últimos dias de corrida "livre", antes de iniciar um novo plano de treinos em Abril.


Hoje a tarde cheirava a Verão. Vão contando as pausas na corrida... ;)

Apitócomboio.

Aqui tinha mesmo de parar para tirar a foto. Vocês entendem, né?

Pesca.
Tentativa de foto artística.
Pausa 250.

Pausa 251...

Para esta quase nem precisei de parar.

 "Os Pássaros", a sequela.
Quase a terminar...

Pausa final!


Durante as minhas corridas e passeios diários, passo frequentemente pelas  Setas Amarelas.

Olha uma.
E outra!
É engraçado, mas antes de saber o seu significado e, durante um tempo, ter aprendido a procurá-las como guia, nem sequer sabia da sua existência. É claro que já existiam há muito tempo, mas, como eu não as procurava, não as via. É interessante ver a forma como a nossa mente funciona como filtro... É mais ou menos como quando compramos um carro novo e depois parece que vemos carros iguais em todo o lado... Eles sempre existiram, simplesmente não estavamos a olhar. O mesmo se passou comigo e com estas setas, antes não as via, mas elas estavam lá!

Mais alguém estas setas?




Três Coisas à terça

E porque ontem falámos de caminhadas e hoje falei de Setas Amarelas, deixo-vos com três das minhas caminhadas mais memoráveis, radicais, irresponsáveis (por esta ordem):

1) Caminho de Santiago

Valença do Minho - Santiago de Compostela - Finisterra (+-200km - 8 dias)

2) Hadrian's Wall Path

Norte de Inglaterra, costa este a oeste (+- 135km - 6 dias)


3) Rota dos Túneis

Estação de La Fregeneda (fronteira espanhola) - Estação de Côa ( +-17km - 2 dias)



Um dia conto as experiências e este passa a ser um blogue de trekking e caminhadas, enquanto não tenho nada de memorável a assinalar no âmbito da corrida (Meia-Maratona, estou a falar contigo!).


Boa noite!



26 de março de 2012

Caminhadas: do Palácio ao Castelo

Ontem, como a corrida de 10km não tinha sido suficiente, durante a tarde achei que era boa ideia ir relaxar, fazendo uma caminhada em Sintra. É esta a minha ideia de calma e descanso: correr de manhã e ir fazer uma caminhada pelos montes à tarde. Não estão contentes por não serem meus amigos na vida real?

Já tinha dito antes que, se não pudesse correr, as caminhadas seriam o meu desporto de eleição. (Ou o surf. Nunca tinha dito aqui no blogue, mas eu sou fascinada pela ideia de fazer surf, não fosse o pequeno inconveniente de ter medo de ondas (das grandes, claro, não daquelas em que ficamos a boiar de barriga para cima ao sabor da ondulação). Não fosse esse pequeno inconveniente, tenho a certeza que andaria por esse mundo fora à procura das melhores praias. Assim sendo, umas palavras de admiração às meninas do surf: vocês são harcore! Não tão hardcore como as meninas da corrida, não exageremos, mas, ainda assim, muito hardcore.)

Mas como estava a dizer, gosto muito de caminhadas, sobretudo por trilhos de montanha. Ando há anos a tentar arranjar tempo (€) para ir ao Perú e fazer o Caminho Inca, até Machu Picchu. É uma chatice isto de não se ter tempo para nada!

Enquanto Machu Picchu não vem até nós, vamos nós até Sintra (mesma coisa). Adoro Sintra. O verde, os caminhos pedestres pela serra, os palácios e palacetes, signos esotéricos, rituais secretos... A dama medieval dentro de mim sente-se em casa.

Desta vez, como o tempo (desta vez sem ser em itálico) não era muito, optou-se por um percurso de ida e volta relativamente pequeno, mas inclinado, do Palácio de Sintra até ao Castelo dos Mouros.


Ao início, exercícios com degrau(s):

É um bom exercício para o rabo os glúteos.

Uma pausa para respirar cultural.


E a subir continuamos.



Quando passam esta porta giratória voltam atrás no tempo, a sério.



Bem-vindos! Festa no castelo, sempre a subir.



Os guardas reais deviam ser homens de belas pernas.



Palácio Nacional de Sintra já bem ao fundinho.


Adoro árvores.




Já está quase.



A entrada para o Castelo dos Mouros.

Com um caricato, mas bem atento, porteiro.
Como eu disse: bem atento.

Como já não entrava no Castelo dos Mouros há muitos anos, resolvi aproveitar para fazer uma visita.
Bem documentada, não fosse perder-me e não encontrar o caminho de regresso para o século XXI.
Vista desafogada,
mar ao longe,
a vizinhança também não me parece má...

Compro!



Parece que, afinal, não estava à venda. Qualquer coisa sobre ser património cultural da humanidade ou lá o que era...

No regresso, tentei armar-me em Indiana Jones e desbravar trilhos desconhecidos.



Mas fiquei com medo que aparecesse algum bicho pudesse escorregar e cair, e resolvi voltar ao traçado original.

Companheiras de muiiiitos caminhos.

E assim se passou mais um domingo.

Hoje, segunda-feira, foi um dia bem menos interessante. E, prova disso, foi o meu almoço (e jantar) sem graça.
Sopa + segunda-feira, combinação mais aborrecida de sempre? Acho que sim.

E a foto da sopa foi só mesmo para terminar o post com uma imagem violenta de regresso à realidade, só para verem como me custou começar a semana.


- Qual a zona mais bonita em que já fizeram caminhadas/ passearam?
- Algum trilho que recomendem?

Até amanhã!




25 de março de 2012

Equinócio, suor, e provas de sonho

Hoje acordei por volta das 08h, com um humor de 07h (malditos equinócios) e andei na ronha até finalmente sair de casa para a corrida de fim-de-semana.
Como saí mais tarde, pensei que fosse encontrar novamente muitas pessoas, mas, não sei se por causa da mudança da hora ou se por 1/4 da população de Lisboa e arredores estar na Mini-Maratona, não se via quase ninguém.

Sombra gigante.
Treino de hoje:
Manhã
Distância: 10,5 km
Tempo: 1:05:38

Estava com tanto sono que nem sei em que pensei durante a corrida. Acho até que devo ter adormecido lá para o km8 porque, quando dei por mim, já tinha passado dos 10km e nem reparei. E eu costumo ir bem atenta à altura em que finalmente vou poder parar.

De manhã, quando acordei, estava assim o tempo meio nublado e acho que subvalorizei o poder do sol porque levei uma sweat-shirt e, ao final do primeiro quilómetro, tive logo que a tirar e pôr à cintura, o que  não dá jeito nenhum e farto-me de transpirar na barriga e fundo das costas.

Como acho que estas minhas palavras precisavam de evidência visual para provocar o devido impacto, aqui têm o estado das calças quando cheguei a casa:

De nada! ;)

Depois fui beber o meu habitual copo de leite com chocolate e assistir à Meia-Maratona em directo na rtp.


Há uns anos participei na Mini-Maratona (8km) e foi giro, pela experiência, mas não é uma prova a que se vá para correr. É demasiada gente e já só conseguimos estar um bocadinho mais à larga quando saímos da ponte. Aconselho a quem nunca foi, e que tenha curiosidade, que vá, com amigos, tirem umas fotos no cimo da ponte, mas não vão para ver em quanto tempo conseguem fazer os 8km, porque vão passar mais tempo a ver cabeças e costas (se tiverem sorte e forem altos), a 2cm da vossa cara,  do que propriamente a sprintar para um recorde pessoal. 

Em relação à Meia, o atleta da Eritreia, Zersenay Tadese, venceu a prova pela terceira vez consecutiva, com o tempo de 59:34, mas não conseguiu bater o recorde mundial por ele próprio fixado em 2010, de 58:23.

Notem que demorei 01h05 a fazer os 10km hoje de manhã e este senhor completou os 21km em 59 minutos... Nada como uma boa injecção de moral desportiva para começar bem o dia! Mas atenção que eu ia a dormir. Tenho a certeza de que se estivesse bem acordada era capaz de ter feito os 10km em... 01h03.


E já que estamos numa de moral desportiva, aqui fica uma lista das minhas provas de sonho/provas em que um dia gostava de participar:

1. Meia Maratona de Lisboa
2. Meia Maratona do Porto

E depois, porque nunca fiz nenhuma Meia, e quase que morri a fazer os 15km, mas eu gosto de sonhar grande e tenho um positivismo que desafia a realidade:

3. Maratona de Sevilha
4. Maratona de Barcelona
5. Maratona de Londres

E, the american dream:

6. Maratona de Nova Iorque



Já me imagino na linha de partida a ouvir o national anthem, no meio de milhares de corredores de todo o mundo, a percorrer as ruas que vejo em filmes, centenas de pessoas a apoiar, terminar no Central Park e cortar a meta ao som de Frank Sinatra, New York, New York... E depois, se ainda tiver líquidos suficientes em mim, choro. E, com sorte, não morro depois.

Um dia, um dia...



Boa semana!